Valar Morghulis. When the sun goes down and the long night rise, you deserve what?

[RP FECHADA +18] ― It's Been A Long Time Since You Came Arround

Ver o tópico anteriorVer o tópico seguinteIr em baixo


this time i'm not leaving without you

you and i
Descrição da RP:  A RP irá começar com o post de Ikarus Redwyne. Esta é uma RP fechada, conta apenas com a participação deMyriah e Ikarus Redwyne Estamos na Árvore, nos jardins, onde a jovem lady encontra-se lendo sobre uma grande árvore. Está um dia ensolarado, mas com previsão de chuva.


Última edição por Myriah Redwyne em Qui Dez 01, 2016 9:47 pm, editado 1 vez(es)



A Young Lady And His Beloved One Lord.

O vento soprava ao leste, guiando as velas de volta para Árvore, local de nascimento e criação do Lord em questão, Ikarus Redwyne. O tempo estava agradável e vantajoso, de acordo com sus própria experiência ao mar, os riscos de uma tempestade eram nulos, o tempo estava favoreceu a eles. Na ocasião da atualidade, Lord Ikarus voltava de uma patrulha pelos mares, dominados da Campina. Com os Nascidos de Ferro em ascensão, recomendável era mantê-se vigilante para erguer-se contra a ameaça. 

Borcejou durante horas, observando tudo mais além, focalizando seu campo de visão, observando a Ilha, dominada pela casa Redwyne. A Árvore, local fundado por seus ancestrais, está em grande utilidade desde os tempos imemoriais, provavelmente, desde a época dos heróis. Quando ainda menino, Ikarus sempre viajou por diversos lugares diferente, ao lado de seu pai, indo de Porto Real até as Cidades Livres, Ilhas Verão e afins. Sorriu enquanto observava a ilha, levando os pensamentos para longe, sua amada, pessoa porque o coração morria de saudades.

Myriah, filha do falecido Lord Oakheart, casou-se consigo em busca de reforçar uma aliança forte para com base, no geral, na proteção de seus direitos sobre Carvalho Velho. Mas, apesar disto, podería ter escolhido uma Tyrell ou Hightower, ainda sim preferiu. Suspirou quando notou a aproximação da costa, vendo a praia, que mais uma vez despertara suas lembranças, liberando alguns dos muitos flashback em sua vida. Assim, desembarcando no Porto da cidade, o Homem prosseguiu a cavalo para fortaleza, junto aos soldados que acompanhavam em sua escolta.

Por onde passava, o Lord chamava atenção de muitos, suas vestes luxuosas e sua aparência eram suficientes para despertar uma paixão inexplicável sobre qualquer donzela ou inveja aos outros rapazes. Entretanto, de certo que pouco ligava, a única mulher em sua vida aguardava-lhe no Castelo, junto aos dois filhos, que provavelmente estavam mais ansiosos do que a mãe. Riu apenas em imaginar a cena, observando o Castelo da família ao longo do caminho.

Adentrando a fortaleza ancestral, Ikarus levou o quadrúpede para o estábulo, deixando o equino ali para alimentação. Olhou de volta a entrada do pátio, caminhando para o outro lado, dando passos majestosos com as botas. Na chegada ao final do percurso, notou a presença de sua amada com as crianças, que não tinha pouco menos que seus três anos de nascimento, sorrindo em retribuição. Sem perdas de tempo, correu de encontro a os três, segurando ambas as crianças aos braços, aproximando-se da esposa, beijando-a no processo de reencontro. -Espero não estar atrasado, minha esposa. Separou os lábios só para ver a satisfação ao rosto dela.



the family is the only thing that you can believe.

family above all, that's why we remain togheter, always and forever, because family is power, this is us, the original famly, always and forever, that's what we one swore to each other, bae.



the lady and her beloved lord


Myriah estava no Septo, novamente. Rezava desde que seu marido tinha viajado, para que os Sete trouxessem o amado de volta, e a constante presença dela lá, parecia irritar a muitos, preocupar alguns. Mas não ligava. Assim que saía do septo, ia para o quarto dos filhos, onde ficava lá, por um período de tempo, para acalmar a ambos, que sentiam falta do pai, contando histórias dele. Mas ela não aguentava muito tempo, logo saía correndo e chorando. Era essa, a rotina da Redwyne quando Ikarus viajava, desde que seus filhos tinham nascido. Odiava quando o homem viajava sem ela, mas sabia bem, que aquelas viagens eram necessárias. O temor dela, era perder o amado.

Ao longo dos dias, sua rotina não tinha mudado. Cuidava dos assuntos pendentes da Árvore e de Carvalho Velho, com a ajuda dos conselheiros, que não confiava. Não faria o marido compartilhar da mesma desconfiança, pois para ela, ele tinha de escolher confiar ou não. A escolha dela, ela tinha feito. Naquele lugar, tinha aprendido a não confiar em ninguém, além de quem amava, o meistre, o Septão e a dama de companhia que tinha vindo consigo. Ela sabia bem que confiar demais, era perigoso, mas não confiar em ninguém, também era arriscado, afinal, ela queria tanto quanto o lorde do lugar, que tudo desse certo, o casamento prosperasse e ambos fossem felizes. Mas tudo parecia muito longe.

Assim que acabou suas obrigações, viu que o dia estava ensolarado. Mas parecia que logo choveria. Deu de ombros, segurando as mãos de seus filhos, enquanto tinha com Sienna, um livro, Sebastian estava com uma espada de madeira. Chegando ao jardim, sentaram-se ambos sobre a sombra da maior árvore que achou ali. Sentou-se com sua filha em seu colo, vendo seu menino, que a cada dia que passava, lhe lembrava seu marido, lhe fazendo soltar um suspiro triste, brincando com a espada de madeira. Pegou o livro das mãos da menina, e começou a ler, em voz alta para a criança. Eram alguns contos e lendas, do qual o livro tratava. Era bom um pouco de ficção, para fugir da realidade.

Enquanto lia, sua distração estava em sua filha, vigiar seu filho. Logo, viu seu menino correr em direção a alguma cosa. ― Sebastian Redwyne, volte aqui! ― A voz de Myriah, tornou-se um grito repreensivo. Levantou-se, tirando Sienna de seu colo, que logo correu atrás do irmão. ― Sienna! ― Gritou novamente, sentindo-se desesperada. Seguindo os filhos, ela logo parou, surpresa. Via em sua frente, seu marido aproximando-se de si, com seus filhos nos braços. Não impediu-se de chorar, tirando sua menina, dos braços do homem. Retribuiu o beijo que recebeu de seu amado, ainda chorando. Tirou o filho do colo do homem, respirando fundo. ― Sebastian, pegue sua irmã, e vão para dentro, eu preciso ter uma conversa de gente grande com o seu pai. ― Beijou a bochecha de ambos os filhos, enquanto os observava saindo.

Quando finalmente ficou sozinha com o marido, ela suspirou, deu um dos tapas mais fortes que conseguiu, sobre o rosto dele, ainda chorando. ― Isso, foi por ter viajado sem mim, ter me feito ficar desesperada, achando que tinha morrido, Ikarus. ― Ela tinha uma expressão de raiva, misturada com um imenso alívio, logo deixou as mãos sobre o pescoço de seu marido, depois de fazer um gesto, para ele abaixar um pouco, lhe beijando. ― Esse, foi por ter voltado vivo. ― Respirou fundo, passando as mãos sobre o rosto. ― Está ferido? ― A morena levou com delicadeza a mão sobre o queixo do marido, virando-o com cautela, para que pudesse lhe inspecionar. No fundo, seu desejo era matar as saudades que tinha de seu lorde, em aspectos mais íntimos, mas deixaria aquilo para outra hora. Ela só queria primeiro, garantir que nada lhe tiraria o marido tão cedo.





A Young Lady And His Beloved One Lord.

A vida no mar não era nada se fosse comparada a vida em sua fortaleza, com sua preciosa família, sua esposa e filhos. Myriah sempre foi uma esposa dedicada, amorosa e, quando precisava, era assustadora. Houve uma época que o rapaz fora apaixonado por sua mulher e, o termo logo evoluiu, com passar dos anos ela já não era apenas uma "paixão" e sim uma realidade em sua vida, sua esposa, logo agora seu conceito aumentara para o amor de sua vida.  

Beijou-lhe a boca em retribuição, fazendo com que após o ato ela ordenasse para que as crianças fossem para dentro... e não demorou para que sentisse o tapa invadir sua face, junto a um beijo. A pressão contra seu rosto era apenas um aviso para que não morresse ao mar. Encarou ela maliciosamente, abraçando-a, assim beijando de novo. Sentiu os lábios serem pressionados contra o dela, usando da boca para movimentar em deslize pelos seus lábios, mordiscando algumas vezes. Parou suas ações, olhando aos olhos.  -Peço as sinceras desculpas, mas prometi voltar vivo. Não irá se livrar de mim, Lady Redwyne.

Com a provocação, soltava através das cordas vocais, o Lord levou as mãos em passeio pela cintura da mulher, descendo uma delas, a esquerda, até sua nádega ao lado correspondente ao de sua mão. Aquele momento precioso era sempre o favorito, além de passar o tempo com seus filhos, trazendo uma das mais diversas alegrias ao seu ser. Myriah... o Redwyne a amava tanto quanto meses atrás, lado positivo de estar no mar, longe dela, era o fato de o sentimento apenas aumentar. Logo a boca deslizara até sua jugular, mordiscando de leve uma das partes mais sensíveis de seu corpo, assim levando a mão direita até a outra nádega correspondente. [/i]-Eu já estou com saudades.[/i]

Inalou o perfume que emanava do corpo de Myriah, fechando as pálpebras dos olhos para deleitar do aroma doce que vinha de sua esposa, que era, sem dúvidas alguma, melhor do que o próprio vinho da Árvore, que era uma das fontes e orgulho de sua família. Assim, sem demoras, Ikarus tomou a esposa aos seus braços, passando para dentro do castelo ancestral de sua família, indo diretamente ao leito do casal, consumir o sentimento de meses ao mar, ouvir sua esposa gritar pelo seu nome, bem como demonstrar o quão ficou com saudades.



the family is the only thing that you can believe.

family above all, that's why we remain togheter, always and forever, because family is power, this is us, the original famly, always and forever, that's what we one swore to each other, bae.



the lady and her beloved lord


Encarar ali, seu amado marido, depois de meses sem o ver, a fazia sentir uma imensa alegria. Mas essa alegria, também era misturada ao imenso sentimento de desejo que tinha daquele homem, lhe tendo sobre a cama, fazendo-a dele, como fazia em todas as vezes em que se viam, depois de uma longa viagem dele. Algumas das vezes, Myriah sentia uma vontade imensa de entrar escondida no navio do marido e ir com ele. Mas sabia que se fizesse isso e fosse descoberta pelo o marido, ele ficaria bravo, por deixar as crianças. Mas aquilo não lhe importava. Só a ele e nada mais, lhe era prioridade.

Ao constatar satisfeita, que seu marido ao menos pelo o que conseguia ver, não estava ferido, soltou um suspiro completamente aliviado. Dar o tapa, ajudou-lhe a aliviar a raiva que tinha sentido, e o beijo era uma mostra da falta que ele lhe fazia. E tudo que ela odiava, era sentir a falta dele. O olhar que recebia de Ikarus, a deixou completamente corada, sentindo suas bochechas queimarem completamente. Odiava ficar daquele jeito, mas era comum, pois apenas ele tinha aquele efeito sobre si, talvez fosse o único homem no mundo, que teria.  E aquilo tudo, parecia bom demais para ela, para ser real. Retribuiu o beijo, arranhando de leve o peito de seu amado, logo mordendo o lábio inferior dele, o olhando. ― Não quero nunca me livrar de você. ― Sussurrou de uma maneira tímida, para ele. ― Eu sempre irei querer que volte para mim, Ikarus. E se não voltar, darei um jeito, mas lhe trarei de volta, para eu mesma lhe matar. ― Olhou para as mãos dele, que uma estava sobre sua nuca, outra sobre suas costas.

Sentir as mãos de seu lorde deslizando por seu corpo, a fez sentir suas bochechas queimarem de modo mais violento que o normal, e fato incondicional para muitos, era que Myriah era completamente apaixonada por seu homem, e faria de tudo por ele. Não era uma mulher ciumenta em momentos desnecessários, apenas quando era preciso, pois era amada e sabia que não seria traída. Lembrou-se de quando uma mulher qualquer que visitava seu lar, tentou convencer e sem sucesso, seu marido a abdicar do casamento e beijou-lhe em sua frente. Tinha ficado tão furiosa... Não brigara com o marido, lembrou-se das palavras exatas que tinha dito. “Aquela mulher vai aprender a nunca mais aplacar a minha ruiva e a não beijar o marido na frente de suas esposas”. Quatro horas depois daquilo, a mulher tinha sido achada morta. E ela só observava tudo, sorrindo de maneira sádica. Sentiu o beijo do amado deslizar para seu pescoço, as mãos sobre as nádegas, o que fez suspirar, mordendo o próprio lábio inferior. ― Eu também. ― Sorriu, lhe encarando, após o ouvir.

Logo, ela observou seu marido com os olhos fechados, o que a fez soltar um riso baixo, mordendo ainda seu próprio lábio inferior. Ao o ver abrindo os olhos, ela riu ao ser erguida ao colo por ele, deixando as mãos sobre o pescoço dele, como uma sustentação a mais. Chegando no quarto, fora colocada no chão, pelo homem, o empurrando de leve sobre a cama, desatando as cordas do vestido, mas ainda não o retirando. Colocou-se sobre o corpo do amado, mordendo de leve o lóbulo da orelha do homem, massageando com a mão, o peito dele, movendo de leve, seu quadril sobre o dele, sussurrando sobre o ouvido dele. ― Você me quer? Quer, eu consigo sentir isso. Você me terá, mas... ― Riu baixo, consigo mesma. ― Ainda devo ver se está ferido, meu amado. ― Sorriu para o marido, de um modo completamente malicioso, enquanto o olhava.

Mordeu o próprio lábio inferior, levando as mãos ao tecido que cobria o peito do marido, e com um bocado de força, talvez desnecessária, rasgou o tecido, e logo jogou em um canto qualquer daquele quarto. Deixou uma das mãos posicionada sobre seus seios ainda cobertos, outra sobre suas nádegas, enquanto beijava de leve o pescoço do homem, logo começando a deixar beijos sobre o peito dele, de maneira lenta e provocativa, enquanto seus olhos inspecionavam aquela pele e as reações dele, em busca de qualquer ferimento, sorrindo levemente satisfeita, ao não achar nenhum. ― Não, nada. ― Sorriu, enquanto erguia os olhos para ele, sorrindo de modo inocente.

Treino:
Sedução, os dois últimos parágrafos, manos




Última edição por Myriah Redwyne em Ter Jan 31, 2017 11:49 am, editado 1 vez(es)



A Young Lady And His Beloved One Lord.


Avaliação de Treino

Myriah Redwyne
Um ótimo treino, narrando bem as ações e descrevendo bem os sentimentos da personagem para com o seu marido. Parabéns!


Avaliação

Conteúdo e Coerência (40/40)
Contexto e Criatividade (30/30)
Estrutura e Metodologia (20/20)
Ortografia e Organização (10/10)
Total (100/100)
Acréscimos e Descontos


+27% pelo atributo Inteligência com 10 pontos. (27)
+0% pelo atributo Energia com 4 pontos. (3)
+3% pelo atributo Determinação com 4 pontos. (3)
+10% pela habilidade no nível 0. (10)

Experiência Adquirida


+ 143 pontos na habilidade sedução.


Dragão
avatar
Ver perfil do usuário
A medida que a química entre o casal avançava, era de esperar que provocações surgissem, como de sua amada mulher, que não perdoou e começou, vagarosamente, livrando-se da roupa de cima do Lord, verificando os ferimentos de batalhas, qual por sua vez não existiam... ainda. A preocupação de sua mulher pelo seu bem estar era suficiente para lhe trazer alívios e motivos para mantê-se vivo durante os tempos difíceis ao mar.

Passeou com a mão esquerda até que fosse levada para o seio dela e a outra a nádega dela, de modo provocativo, massageando a região com movimentos circulares, tanto seu mamilo quanto sua nádega. Em momentos, sim, o seu sorriso malicioso se fez presente, tomando controle de seus próprios lábios para mordiscar seus próprios inferiores. E quando o sorriso inocente de sua amada surgiu, teria de admitir, não aguentou aquela expressão, a mesma quando foi a primeira dela, forçando a si mesmo a gemer no intuito de provocação, levando a boca até seus ouvidos para esse ato, mordiscando a ponta de sua orelha após a ação posterior.


Logo, sem esperar por mais que aquilo, Ikarus subiu com sua mão lentamente, passando pelo pescoço desta e indo diretamente as bochechas coroadas, acariciando a região para demonstrar seu amor por ela. A boca do homem, que mostrava está contente com cada ação tomada por ela, desceram depois de cumprir o seu papel com os lábios da amada, indo até sua jugular para mordiscar em momentos, até que por fim parassem para lhe dizer algo... um comentário. -Minha amada esposa parece cada vez mais manhosa e... pelos Sete... tão devassa como a última vez que nos vimos. Está na hora de compensar.

Dito aquilo, levou as mãos que estavam a nádega até por cima da intimidade dela, mesmo que pelo tecido, pressionando ali em provocação, isso no intuito de provocar. Já com a outra mão, o homem retirou de sus bochecha e levou até o feixo da veste dela, retirando, revelando a maravilha de mulher que escondia pelo vestido. Analisou o corpo dela por uns instantes, debochando de quão linda ela estava. -Tão linda e volumosa. Agora, com vossa permissão, minha senhora esposa. levou o dedo por cima do clitóris dela, que agora estava nu, massageando a região vital, descendo a outra mão de volta ao seio esquerdo dela para massagear. Com a própria boca, ele mesmo abocanhara o seio esquerdo dela, mordiscando seus arredores para efetuar movimentos similares a mamentação, sugando o néctar da pele da sua mulher.



the family is the only thing that you can believe.

family above all, that's why we remain togheter, always and forever, because family is power, this is us, the original famly, always and forever, that's what we one swore to each other, bae.


i could fuck you all the time.
She never say, "no", damn, she’s so cold, up and down, that pole, she go, go, fuck me like you hate me, kiss me like you miss me, anything I want to, that’s what she always lets me. Early in the mornings when I think about you, yeah - I hit you like “what you sayin'?” In the mornings when I wanna fuck you, yeah - I hit you like “what you sayin'?” I could fuck you all the time
Para Myriah, ter seu marido daquele jeito, era tudo que ela precisava. Depois de longos meses, sentir falta dele, era o que ela menos queria. Seu desejo naquele momento, era poder parar o tempo, para que pudesse ficar ali, naquele lugar que para ela, era o melhor do mundo e era a única merecedora, além de seus filhos. Nos braços de quem amava, recebendo atenção. Todo o amor que ela tinha por aquele homem, era uma coisa assustadora, mas já estava acostumada. Afinal, era aquilo mesmo que ela queria. Amar alguém, e ser amada incondicionalmente por alguém, como ela bem sabia que Ikarus a amava, e seria a única.

Enquanto ela deixava os beijos sobre o peito do marido, ela lembrava porque amava o marido do modo que amava atualmente, passando as mãos sobre os cabelos, sentindo o toque sobre seus seios e sua nádega, que era massageada, e quando terminou, o encarando com um sorriso inocente, que ao ouvir o gemido do marido, a fez suspirar baixinho, arranhando levemente o peito do amado, mordendo o próprio lábio inferior. ― Não estar ferido me poupa trabalho de lhe passar sermão e acabar com esse momento... Interessante. ― A Redwyne mordera o próprio lábio, enquanto sentia a mordida sobre o lóbulo da orelha, rindo baixo, soltando um suspiro manhoso, olhando o amado.

A morena sentiu as mãos do marido uma sobre sua bochecha e outra sobre o quadril, de modo que ficasse mais próxima a ele, o que a fez suspirar levemente manhosa, como se pedisse para que ele continuasse. Aquele carinho que sentia sobre as bochechas, era uma tortura, ao que ela realmente queria fazer. Desejou naquele momento, ter capacidade de falar algo, pedir para que seu marido lhe fodesse logo de uma vez, mas não tinha nenhuma coragem de apressar seu marido, por medo que se aquele momento acabasse logo, tudo aquilo acabasse e se mostrasse um sonho e ele ainda estivesse longe de si. Retribuiu o beijo que recebeu de um modo voraz, como se precisasse cada vez mais daquilo.

Logo Myriah começava a sentir os beijos do marido sobre seu pescoço, enquanto sorriu minimamente, mostrando que aquilo lhe agradava muito. Começou a beijar o pescoço de seu homem, dando mordidas leves, uma vez ou outro, deixava um chupão naquela região, enquanto começava a arranhar levemente o peito de seu amado, mordendo o próprio lábio, sentindo os beijos sobre o pescoço, quando os sentiu parar, ouvindo seu marido, respirando fundo, contendo-se para não falar nada mais que o inconveniente naquele momento. ― Isso tudo é efeito de ter passado muito tempo longe, deixando sua amada esposa manhosa, com uma exímia necessidade de seu marido lhe fodendo, dizendo que a ama, e beijando-lhe, então sugiro que não faça mais isso, pois pode piorar muito... ― Sorriu em um modo irônico, mordendo levemente o lábio inferior do marido, puxou-o e chupou levemente. ― Seja um bom marido, como eu sei que é, e acabe com a minha vontade, por favor. ― Sorriu docemente, olhando para o amado.

Após aquilo, a morena sentiu um contato sobre sua intimidade ainda coberta, que a fez soltar um gemido baixo, mordendo o próprio lábio inferior. Não podia não gostar daqueles contatos do marido, ela logo respirou fundo, sentindo a mão que ainda acariciava sua bochecha, começar a afastar o vestido que tinha aberto, tirando-o e deixando que caísse em algum lugar do quarto. ― Ikarus... ― Ela sussurrou para o homem, receosa, logo ela sentiu o contato sobre a outra região mais íntima de si, fazendo-a soltando um gemido alto, mordendo o próprio lábio, começando a beijar o pescoço de seu marido, dando mordidas leves, chupando novamente ali, arranhando seu peito. ― Por favor... Eu preciso de você dentro de mim, de algum jeito... ― Ergueu o olhar a ele, sabendo que não aguentaria muito tempo, sem seu pedido realizado. Talvez seu marido não soubesse, ou não suspeitava, mas só de o ver, os desejos de Myriah para com seu Ikarus, aumentavam em níveis alarmantes, e ela tinha de se conter o melhor que pudesse, para não puxar seu marido para um lugar qualquer vazio, pedir para que a tivesse no ambiente em que estivessem. Ela apenas queria ele e mais ninguém.

with her husband
doing adult things
FEITO POR NÊS @ epifania



A Young Lady And His Beloved One Lord.

Conteúdo patrocinado

Ver o tópico anteriorVer o tópico seguinteVoltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum