Parceiros
Parceiros [00/36]
Elite [00/06]
Gráficos [00/12]

[RP Fechada / +18] We are one person two bodies

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[RP Fechada / +18] We are one person two bodies

Mensagem por Tyressa Lannister em Qua Nov 30, 2016 12:23 am


She kissed him. A light kiss, the merest brush of her lips on his, but he could feel her tremble as he slid his arms around her. “I am not whole without you”

We are one person two bodies
Descrição da RP:  A RP irá começar com o post de @Logan Lannister . Esta é uma RP FECHADA + 18, conta apenas com a participação de @Tyressa Lannister e @Logan Lannister. Era tarde da noite e a rainha ainda vagava pelos corredores do Castelo, até deparar-se com a figura de seu marido sentando, em uma das salas em que ele costumava se refugiar quando algum pensamento lhe perturbava, estava a frente da lareira, observando pensativo as chamas trepidantes.


Última edição por Tyressa Lannister em Qua Dez 21, 2016 9:54 pm, editado 1 vez(es)


Until you and i are the only people left in this world

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Fechada / +18] We are one person two bodies

Mensagem por Logan Lannister em Sex Dez 02, 2016 4:07 am








Logan Lannister
ONE PERSON, TWO BODIES





Sobre a ornamentada mesa do Leão da Montanha, um amontoado incontável de folhetos, pergaminhos e livros ancestrais ocupavam uma larga parcela de sua extensão, e também dos pensamentos meticulosos de seu possuinte. Nada fora do habitual, havia de concordar. Em sua maioria, reivindicações, convites, congratulações e pedidos zelosos de audiências pessoais vindas de todos os lados de seu próprio reino. Vinda de nobres, lordes e cidadãos de baixo nascimento, todos homens e mulheres que constituíam o seu povo. Todos devidamente avassalados e governados pelo gênio rígido de seu Rei, mas não menos justo. Era o que lhe tornava o que era; um leão dourado com os punhos de ferro, a liderança e a ambição de Tywin Lannister, mesclado com o pensamento astuto, a perspicácia e a sensatez de Tyrion, capaz de persuadir e cativar aos seus pelo simples fato de coexistir com os mesmos. O pilar central que ostentava consigo o legado e o orgulho do Reino mais rico de Westeros e, certamente, um dos mais poderosos dentre os sete.

Por estes motivos, assim como muitos outros, tão constantemente o Rei era sobrecarregado de regalias e elogios famigerados. Um sinal evidente de respeito, mas também de ganância. A medida em que o Reino prosperava, seus filiados clamavam sempre por mais favores e recompensas, ainda que seus pedidos fossem mascarados por letras dóceis e repletas de admiração. Afinal, não haviam homens nos Sete Reinos com audácia o suficiente para desafiar a boa vontade do Rei sobre a montanha. À sua frente, sentado sobre um acento paralelo, o senhor acinzentado, de gibão avermelhado, cabelos brancos desgrenhados e barba presa à altura da cintura lhe auxiliava em mais uma noitada de diplomacia sem fim. Em seu pescoço, carregava consigo os ademais grilhões e correntes que tornavam-no um Meistre de sabedoria ímpar, um dos maiores do continente. Os metais se debatiam à medida em que o mais velho repassava ao seu Rei alguns dos tantos comunicados redigidos em seu nome.

- Esta fora redigida pelo próprio Lorde Lefford, meu Rei. – Prosseguira o velho, oscilando vez ou outra, ainda que sua voz fosse grave e claramente compreensível. – Agradece-lhe a honra de tê-lo nomeado protetor da principal fronteira do reino, meu senhor. E informa que nossos limites nunca foram tão sólidos. Ademais, comerciantes, ourives, marceneiros e cavaleiros andantes buscam a sua bênção e benevolência em soma ao nosso reino, jurando fidelidade à vossa senhoria, meu Rei. – Concluíra o Meistre. Seu senhor assentiu com a cabeça, aprovando as boas novas com alguma indiferença. – Escreva-lhe de volta e demonstre a satisfação de seu Rei para com sua boa servidão. Qualquer homem de boa índole e apto a servir será bem vindo em meu reino. Diga-lhe, também, que o receberei de bom grado para que festeje ao meu lado o dia do nome de Selysse. Próximo, Meistre. – Concluiu o Lannister, degustando de um pequeno gole do vinho doce que lhe fora servido em uma taça d’ouro. O Meistre guardara suas palavras com eficácia, desdobrando um segundo pergaminho.

- Esta fora redigida pelo senhor seu irmão, meu Rei. – Iniciara sua oração. – Diz-lhe que o investimento em Lannisporto é demasio crescente. O comércio prospera aos segundos, os joalheiros lucram às pilhas e o padrão de vida de vossa cidade mantém-se incomparável. Diz-lhe também que vossa frota constitui uma muralha impenetrável sobre as águas e agradece-lhe a confiança e o investimento de peso em prol de vosso poderio bélico. – Concluíra uma segunda vez. Seu suserano bebericou de um novo gole, desta vez um tanto mais pensativo. Era sabido que Lannisporto era peça indispensável de seu reino e fruto de retornos em lucro incontável. Seus dedos tamborilavam por sobre a mesa a medida em que seus pensamentos trabalhavam. Eram épocas de paz entre os reinos, mas Logan estava sempre à frente de suas adversidades. Era sabido, também, que a ambição do Reino de Ferro de Erland tornava a cidade portuária um alvo apetitoso, ainda que suas defesas fossem sólidas o suficiente para fazê-lo repensar uma possível quebra de tréguas. Entretanto, os dois possuíam muito mais em comum do que aparentava e saberia usar isso à seu favor. E o faria, muito em breve.

- Diga-lhe que o parabenizo por seu governo e expresse minha gratidão em prol de sua devoção para com nossas defesas marítimas. Diga-lhe, também, que tem espaço em minha mesa para a festividade que se aproxima. Ademais, Meistre, está dispensado. Poderá redigir meus mandatos pela manhã, à luz da primeira aurora. – Indagou o leão, direcionando-lhe um pequeno aceno. – Sim, meu Rei. Que tenha uma boa noite de descanso. – Assentira o ancião, levantando-se e galgando lentamente salão afora, carregando consigo alguns de seus aparatos. Só então seu Rei se levantara. Despretensioso, seguira em passos lentos de encontro às janelas luxuosas do aposento, afastando as cortinas carmesins e dedicando alguns instantes para a visão privilegiada que o Rochedo lhe proporcionava. A lua estava límpida e seu véu caprichosamente estrelado. A brisa amena encontrara seu rosto, atirando os cabelos loiros ao longo dos ombros. Levou a taça dourada aos lábios uma última vez, apoiando-a às margens da janela. Desatou os nós do majestoso gibão carmesim que cobria-lhe até o pescoço, permitindo que seu peito respirasse o sopro de sua terra. A medida em que sua mente transparecia de suas obrigações, seu peito ardia pelo momento de deitar-se ao lado de sua amada e admirá-la, enquanto, muito provavelmente, adormecia em seu leito.

HABILIDADE TREINADA :
Diplomacia





HEAR ME ROAR


Última edição por Logan Lannister em Seg Dez 05, 2016 11:30 pm, editado 4 vez(es)


I CROSSED A THOUSAND LEAGUES TO COME TO YOU  

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Fechada / +18] We are one person two bodies

Mensagem por Tyressa Lannister em Dom Dez 04, 2016 1:05 pm


Please, tell me I’m your one   and only.
Or lie, and say at least tonight I’ve got a brand new cure for lonely And if you give me what I want Then I’ll give you what you like.


A lua já estava quase em seu ápice, eu podia ver perfeitamente sua beleza naquela noite enquanto estava sentada no banco de minha penteadeira, lentamente eu me dava ao trabalho de escovar meus cabelos em um trabalho lento e paciente. Na verdade, quando se tratava de agradar meu marido, eu não poupava nenhum esforço, era assim todas as noites, desde o dia que eu o conheci. Era fácil me perder em meus pensamentos, compartilhamos tantos bons momentos, construímos uma vida juntos, uma família. Mas o que eu sinto por ele é algo que eu jamais poderia descrever em simples palavras, era algo único, como se minha própria existência dependesse da dele. Cuidadosamente deslizei a escova por minhas madeixas, os fios estavam lustros, como um manto de puro ouro que caia sobre meus ombros e descia pelas curvas de meu corpo. Um pouco mais cedo, havia tomado um bom banho perfumado, eu sabia como meu homem apreciava meu perfume, a maciez de minha pele e eu realizava cada capricho que Logan desejava. Mesmo depois de tantos anos de casamento, meu desejo por ele continuava exatamente o mesmo de quando eu era uma menina Valecorno.

Bons tempos aqueles, lembro-me como provocava Logan, andando a noite pelo castelo com trajes tão finos que eu parecia estar nua, lembro-me com perfeição de seu olhar ferino, é o mesmo depois de tantos anos. Eu sorri com malícia e vi perfeitamente como meus olhos estavam cheios de malícia, eu podia ser a Rainha, uma mulher que inspirava respeito e moral, mas para meu marido, eu seria o que ele desejasse. Coloquei a escova sobre a plataforma de madeira, apoiei minhas mãos sobre ela em seguida e levantei-me com urgência. Nosso aposento era amplo, com uma grande cama ao centro, já estava preparada para que eu me deitasse, mas eu não faria isso, não depois da ideia que havia surgido em minha mente. Apressada procurei entre minhas vestes, uma que fosse tão transparente como aquelas de antigamente. Eu adorava provoca-lo e eu estava inspirada para fazê-lo naquela noite. Meus dedos deslizavam pelas peças enquanto procurava o que desejava, praguejei mentalmente pela demora, logo ele terminaria seus afazeres e viria ao meu encontro. Depois de algum trabalho achei algo que me agradasse, uma bela veste de renda essoriana, fina e transparente como eu desejava.

Despi-me ali mesmo, de onde estava, ainda pude observar meu reflexo, mesmo tendo gerado três filhos, eu tinha um corpo tão belo e provocante quanto o de qualquer jovem donzela. Mesmo que fosse um simples traje de dormir, a peça era bela, provocante e sensual, tudo o que eu queria para aquela ocasião. Era engraçado como me sentia como uma adolescente de novo, lembro-me que saia escondida para visitar Logan em seu quarto e muitas vezes passávamos as noites juntos. Eu o amei desde o primeiro momento, o primeiro olhar e vou ama-lo até o dia que eu me juntar ao Estranho. Uma última vez parei diante do espelho, observando se alguma coisa estava fora do lugar, cuidadosamente joguei meus cabelos pelos ombros, tomei o cuidado de jogar uma capa sobre meu corpo, não desejava que outro me visse naqueles trajes. Por mais que já fosse tarde, algum servo poderia estar vagando perdido pelos corredores, nunca se sabe e eu preferia evitar uma situação constrangedora como essa, eu conhecia muito bem meu marido para saber como o ciúme poderia lhe dominar.

Apenas as pequenas tochas iluminavam os corredores, a aquele horário era difícil contemplar toda a beleza dos corredores de nosso castelo. Quando dei os primeiros passos no chão negro, não havia ninguém nos corredores, nenhum sussurro e nenhuma brisa, apenas a minha sombra tremulava nas paredes enquanto eu caminhava. Minhas mãos seguravam a parte da frente da capa que eu havia jogado em minhas costas, evitando assim que qualquer parte do meu corpo fosse exposta. Não tinha plena certeza de onde Logan estaria a àquela hora da noite, ele era um homem tão cheio de afazeres e eu não poderia culpa-lo por isso. Segui silenciosa com passos leves e muitas vezes me esgueirando próximo as sombras, como eu imaginava, durante a noite sempre havia alguém perambulado pelos corredores, soldados que cuidavam da segurança, servos que aproveitavam o horário noturno para terminar seus afazeres, mas isso pouco me importava naquele momento, eu apenas desejava logo encontrar meu marido e torcia para que ele não estivesse ocupado com alguma coisa.

Quando finalmente me aproximei da grande sala onde ele passava boa parte do seu dia cuidando do bem do reino, abruptamente cessei meus passos, logo reconheci a figura de cabelos grisalhos e com a enorme barba, era o meistre de confiança de Logan, com certeza haviam trabalhado exaustivamente naquela noite. Sorri com malicia enquanto encostava meu corpo contra a parede para que o velho não me visse, aguardei impaciente que ele se afastasse o suficiente para que a minha passagem não chamasse a atenção. Imaginava como o dia de meu amado havia sido longo e cansativo, tarefas administrativas, compromissos com lordes que não cansavam de pedir cada vez. A prosperidade de nosso reino despertava a ganância de muitos, eu sinceramente não confiava nem mesmo naqueles que se diziam os mais fiéis e sempre tentava alertar meu rei sobre isso. Ele era um homem astuto e inteligente, um homem difícil de se enganar, porém, existem detalhes que somente os olhos femininos conseguem captar e era meu dever sempre estar ao seu lado, não importava qual fosse a situação.

Finalmente minha passagem seria segura, esgueirei-me mais uma vez juntos as sombras até chegar diante da grande porta do salão, minhas mãos repousaram delicadamente e não precisei exercer muita força para que ela cedesse e se abrisse. Tomei a liberdade de adentrar ao recinto de trabalhado de meu esposo e como eu previa, ele estava sozinho escorado junto a janela. Tomei o cuidado de fechar a porta novamente, para que não fossemos interrompidos, a aquele momento, observando Logan, eu já sentia meu coração bater mais forte e meu corpo se aquecer. Ele então me olhou, com um singelo sorriso, mas ao mesmo tempo surpreso: — Imaginou que eu já estivesse dormindo. — Afirmei enquanto ia em sua direção. Minha mão direita alcançou o pequeno laço em meu pescoço que prendia a capa, em um movimento simples me libertei da mesma, o fino tecido escorregou pelo meu corpo e caiu ao chão, dando a ele a visão completa de mim: — Eu realmente deveria estar. Mas precisava de um beijo seu antes de adormecer. — Falei com uma leve pitada de ironia e muita malícia.

Findei a distância que nos separava completamente, meus olhos passearam por seu peito exposto, se ele soubesse o quanto vê-lo daquela forma me provocava, ao ponto de mordisca levemente meus próprios lábios. Levei minha mão suavemente ao seu corpo, deslizando languidamente e me desfiz sem cerimônias de seu gibão. Ergui meu olhar ao dele, perdendo-me completamente, entregando-me completamente ao homem que estava a minha frente, meu marido, meu grande amor. Minhas mãos subiram até seu pescoço e aninhei-me ainda mais junto ao seu peito: — Espero que não se importe que lhe faça um pouco de companhia. — Sussurrei quase como uma súplica para que ele permitisse que eu continuasse ali, junto ao calor de seu corpo. Meus dedos se misturaram os fios loiros de seus cabelos, em uma carícia terna contrastando com a malícia que havia em meus esverdeados olhos. Todavia, eu sabia que aquele momento terno não duraria muito tempo, não entre mim e Logan, depois de tantas provocações, esperava ansiosa para que meu marido me tomasse em seus braços, fosse ali ou em qualquer outro lugar.



Post: 002 with: @Logan Lannister in:Casterly Rock
Hear me roar


Until you and i are the only people left in this world

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Fechada / +18] We are one person two bodies

Mensagem por Urrax em Ter Dez 06, 2016 4:10 pm


Avaliação de Treino

Logan Lannister
Um ótimo treino. Continue evoluindo!


Avaliação

Conteúdo e Coerência (40/40)
Contexto e Criatividade (30/30)
Estrutura e Metodologia (20/20)
Ortografia e Organização (10/10)
Total (100/100)
Acréscimos e Descontos


+24% pelo atributo Inteligência com 9 pontos. (24)
+6% pelo atributo Energia com 6 pontos. (6)
+3% pelo atributo Determinação com 4 pontos. (3)
-5% pela habilidade no nível 2. (5)
+10% pelo dote inicial (10)

Experiência Adquirida


+ 138 pontos na habilidade diplomacia.


Última edição por Urrax em Sex Dez 09, 2016 5:09 pm, editado 1 vez(es)


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Fechada / +18] We are one person two bodies

Mensagem por Logan Lannister em Ter Dez 06, 2016 8:51 pm








Logan Lannister
ONE PERSON, TWO BODIES





A torrencial corrente de ar que passeava janela adentro afagava-lhe o corpo como se tivessem dedos próprios, como se o toque temperado da noite lhe aprouvesse de uma carícia suficientemente satisfatória. Não eram. As sedarias em escarlate oscilavam junto de seus cabelos dourados à medida em que sua mente encontrava a quietude que buscara ao longo daquele dia extenuante de trabalho. Flexionou os braços à altura da base de mármore que o separava das colinas rochosas castelo abaixo e repousou-os ali, por sobre os cotrovelos. Levemente inclinado para frente, suas mãos passearam pela extensão do rosto, percorrendo o maxilar coberto pela barba levemente volumosa até a extensão de seus cabelos, delineando-os da testa às orelhas. Um sinal de exaustão visível. Fisicamente, presumia que poderia mover o enorme rochedo que sustentava-lhe com os próprios braços. Entretanto, psicologicamente, era como se o próprio estivesse estacionado por sob sua cabeça. Em momento algum – mesmo se o caráter egocêntrico, por alguma razão inconveniente, permitisse – o Leão da Montanha duvidara de sua maestria em governar, mas o peso de ostentar uma coroa era um fardo de imponência significativa, era evidente. E bastante aporrinhante, diga-se de passagem.

Independente dos pensamentos corriqueiros, seu ego era tamanho inflado que julgava-se superior à qualquer outro regente vivo naquele continente; e de uma farta maioria daqueles que já haviam vestido uma coroa. Sábio e prudente o bastante para não repetir os atos do chamado Rei Louco, que infestara sua própria cidade com uma quantidade enfadonha de fogo vivo, sob a perspectiva nefasta de implodi-lo ante à uma rebelião inevitável contra seu reinado demente. Astuto e sensato demais para deixar-se levar pela tolisse de Robert Baratheon, que mutara de um conquistador incrível para um governante, no mínimo, ridículo. Transformando toda sua gloriosa reputação em um reinado miserável, difundido em dívidas imensuráveis e em um governo patético que resultara nos primórdios da Guerra dos Cinco Reis, antes de encontrar seu fim pelas mãos de um quadrúpede medíocre. E até mesmo confiante ao ponto de julgar-se superior à própria Rainha Dragão, que reconquistar seu trono por meio de suas crias animalescas, mas guiada minuciosamente pelo estrategismo audaz de seu pai, Tyrion. Quisessem ou não, era algo inegável na tortuosa história de Westeros; o poder sempre esteve mascarado pelas facetas de um Leão, fosse anos atrás ou em tempos atuais. E isso não mudaria. Não pelas mãos precisas da genialidade de Logan Lannister.

Mas bastara um pequeno e praticamente inaudível ruído vindo das portas de seu gabinete para interromper-lhe as reflexões. Num reflexo súbito, permitiu-se um pequeno meneio com a cabeça, mas sequer se dera ao trabalho de identificar o quê - ou quem – havia de lhe surpreender àquela altura da noite. Era como uma espécie de dom, algo de difícil compreensão que somente Tyressa haveria de entender. Algo como uma empatia de essências que somente dois amantes verdadeiros usufruíam; um suspiro interior à bombear o peito quando aquela pessoa se encontra por perto, mesmo quando não se pode vê-la. Suas pálpebras se semicerraram em um olhar ferino, acompanhando o singelo sorriso que brotara em seus lábios rosados, mesmo que fechados. Eram as mesmas expressões que, desde sempre, conquistaram aquela jovem donzela Brax, anos atrás. E sabia, naturalmente, o quanto aquilo à provocava. Só quando ouviu-a bater a porta com sutileza permitiu-se virar para a esposa. Um único vislumbre de sua presença já lhe era suficiente para desviar-se de qualquer pensamento obsoleto que, outrora, possuíam-no a mente. Encostou-se contra a divisória de mármore enquanto admirava-a, mesmo coberta pelo sobretudo escarlate, mantendo o sorriso selado em seu semblante, mascarando o fato de que sua visita, àquela hora, era, pelo menos, inesperada – mas não menos desejada.

- Peço perdão por fazê-la se dar ao trabalho de vir buscá-lo, minha Rainha. – Retrucou suas palavras, utilizando-se do mesmo timbre dúbio da esposa, fazendo referência ao irônico beijo que citara. Àquela altura, seus olhos verdes que, antes, devoravam aos da esposa, vacilavam. Assistiu-a despir-se do sobretudo que escondia o audacioso tecido fino que cobria-lhe as curvas tentadoras, sem motivos para hesitação; era o que ela queria, supunha. Sob aquela fina e transparente sedaria, seu corpo afeminado lhe gritava como uma verdadeira leoa aprisionada, suplicando por liberdade. Liberdade que encontraria em seus braços. Mesmo anos após a consumação do casamento que os unira em uma só alma, seu desejo pela esposa permanecia tão voraz quanto ao do jovem Lannister que a conhecera e se encantara por aquela menina loira, quando hóspede em Valecorno. Seu corpo reagia ao inevitável, tanto quanto poderia afirmar que o dela reagia da mesma forma. Era o que mais lhe excitava; toda aquela malícia exposta nos olhos esmeraldinos da esposa e a entrega visível de seu corpo que clamava pelo domínio do seu Rei, do seu leão. Era o tipo de libido incessante que ambos, Logan e Tyressa, compartilhavam um pelo outro, e o que os tornavam algo muito além de dois simples amantes.

De forma inevitável e recheado de desejo, seu olhar fugia ao dela, cedendo aos instintos mais profanos do homem. Por mais que não demonstrasse a avidez que lhe apossava em possuí-la, a forma minuciosa como somente seus olhos contemplavam-na eram uma evidência clara de seu fervor, especialmente quando a esposa se despira por completo. Seu vislumbre era delirante, ela sabia. Sua pele clara e a silhueta esbelta, as ancas largas e o belo par de seios eriçados que testemunhavam toda sua gana para com seu marido. Tudo nela lhe cativava e fazia-lhe se render aos seus gostos mais promíscuos, como sempre fizera. Sem mais delongas, sua leoa tratou de, enfim, encurtar a distância que os separavam. Suas passadas cessaram rente ao seu corpo, proferindo-lhe uma sugestão incontestável. Um arrepio imperceptível lhe tomara quando o corpo nu de sua Rainha aninhou-se junto do seu, em conjunto com o toque suave que deslizara pela extensão de seu pescoço, até as raízes de seus cabelos dourados.

- Não existiria companhia melhor para essa noite. - Prosseguiu com a resposta, previsível. Os lábios tão próximos aos dela que lhe era possível respirar de seu próprio ar. Progressivamente, sua mão direita fora de encontro à testa da esposa, deslizando por uma única madeixa de seus cabelos longos e recém penteados. Aos poucos, seu toque passeara pelo rosto da amada, deslizando pelo nariz e prosseguindo de encontro aos lábios. O indicador repuxou seu lábio inferior, provocando-a, mas negando-lhe o toque tão aguardado dos seus. A mão esquerda, por sua vez, contornava a perfeição do seio da amada, atiçando-o. Não tardou para que a mesma seguisse trajeto, se arrastando, até então, de maneira suave pelas ancas de seu dorso, até alcançar os quadris delirantes da leoa. A mão deslizara pelo local como uma carícia ousada, mas não contentou-se por assim só. Instante por instante, a mão tornara a deslizar quadril abaixo, até encontrar o que, de fato, procurava. Os dedos dançaram em torno de sua intimidade, perpassando toda a região de seus grandes lábios, sentindo-os umedecer em resposta. Sabia que aquilo a enlouqueceria, e era exatamente desta forma que Logan a desejava; no ápice de seu desejo. Só então permitiu-se tomar a boca com a sua, antes mesmo que a Rainha se desse ao luxo de emitir qualquer espécie de gemido. A mão que, antes, lhe provocava, agora estalava-se junto de seus cabelos, junto da nuca, como um predador sedento à firmar as garras em sua presa. À medida em que os dedos canhotos permaneciam à estimular sua intimidade, sua língua explorava-lhe com ferocidade, pondo fim àquele pequeno momento de sutilezas entre dois amantes e criando um estopim para um desenrolar selvagem entre dois leões.

HABILIDADE TREINADA :
História





HEAR ME ROAR


Última edição por Logan Lannister em Sex Dez 09, 2016 5:09 pm, editado 1 vez(es)


I CROSSED A THOUSAND LEAGUES TO COME TO YOU  

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Fechada / +18] We are one person two bodies

Mensagem por Urrax em Sex Dez 09, 2016 5:03 pm


Avaliação de Treino

Logan Lannister
Um ótimo treino! Alguns erros de digitação e algumas letras faltando, mas nada que gerasse desconto.


Avaliação

Conteúdo e Coerência (40/40)
Contexto e Criatividade (30/30)
Estrutura e Metodologia (20/20)
Ortografia e Organização (10/10)
Total (100/100)
Acréscimos e Descontos


+24% pelo atributo Inteligência com 9 pontos. (24)
+6% pelo atributo Energia com 6 pontos. (6)
+3% pelo atributo Determinação com 4 pontos. (3)
+10% pela habilidade no nível 0. (10)
+10% pelo dote inicial. (10)

Experiência Adquirida


+ 143 pontos na habilidade história.


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Fechada / +18] We are one person two bodies

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum