Valar Morghulis. When the sun goes down and the long night rise, you deserve what?

[RP Fechada] The little lioness

Ver o tópico anteriorVer o tópico seguinteIr em baixo

Mensagem por Tyressa Lannister em Qua Nov 30, 2016 11:20 pm

Hear me roar

The little lioness
Descrição da RP:  A RP irá começar com o post de @Tyressa Lannister . Esta é uma RP FECHADA, conta apenas com a participação de @Tyressa Lannister,  @Logan Lannister, @Tytos Lannister, @Merida Lannister, @Selysse Lannister e @Tya Lannister. Naquele dia, toda a casa Lannister estava em festa, a pequena Selysse completava mais um ano de vida, uma data que jamais passaria em branco, ainda mais quando se tratava da filha do Rei e da Rainha do Rochedo. Um grande banquete foi organizado, mostrando o poder e a riqueza que os leões detinham. O castelo fora ricamente decorado em vermelho e dourado, no salão principal fartas mesas estavam espalhadas. Em um patamar mais elevado, estava a mesa onde a família se reuniria naquela comemoração.


Until you and i are the only people left in this world

[WESTERLANDS] Queen
avatar
Ver perfil do usuário


Little Lioness



- Tem certeza de que este pônei é um animal adequado? Me parece particularmente gordo e nem um pouco disposto a exercícios ou passeios tranquilos. Na verdade, eu diria que a pobre criatura ficaria muito contente em comer todo o feno que o Rochedo puder arranjar, sem nunca ficar satisfeito. - Tytos encarou o cavalariço com deboche, enquanto o Mestre dos Estábulos abafava uma risada diante dos comentários de seu príncipe. Longe de intimidar-se com a posição do loiro, o bastardo de cabelos de cobre cruzou os braços sobre o peito forte, reprimindo um sorriso de desdém.

- Acredito que, embora seja apenas um aprendiz, eu possa avaliar melhor as características e condições necessárias pra que um animal seja considerado adequado. Se meu príncipe permite, eu gostaria de ajudá-lo a esclarecer todas as dúvidas sobre o nosso Torrão aqui. Não é, amigo? - Edwyn olhava nos olhos do pônei, que pareceu concordar com o tom de voz manhoso, bufando sobre a face do rapaz que o acariciava. - Venha, passe a mão na crina dele. Sua irmã não completa o décimo primeiro dia de seu nome?

- Sim, mas que importa isso? - concordou de má vontade, deixando que Edwyn colocasse sua mão sobre o animal.

- Explique direito para o príncipe, rapaz. - Incitou o Mestre dos Estábulos, o rosto enrugado repuxando-se num sorriso. - Vou verificar as ferraduras dos cavalos recém-chegados. Deixarei que lidem com isso. - Nicolay caminhou na direção das comitivas de outras Casas que reuniam-se no pátio central, deixando os dois jovens a sós.

- Você não vai querer um animal eriçado, ou muito ativo para uma criança. Veja, como ele permite que o toquemos com tanta compaixão, mesmo depois de ofensas tão terríveis... - Tytos riu diante das palavras do rapaz, reparando melhor na figura do jovem. Não notara o quão belo era antes, mas estava começando a entender porque ouvira servas do castelo suspirando mais de uma vez pelo bastardo Hill, apesar de sua falta de condições financeiras ou bens de nascimento. - Um pônei mais lento e mais jovem é mais adequado, pois crescerá com sua irmã e a amará mesmo muito depois que ela já esteja cavalgando corcéis. São criaturas de ótima memória e empatia. Talvez se tivesse ganhado um destes, meu príncipe fosse um homem mais gentil.

- Quem sou eu para discordar de tão grandioso especialista? - Zombou, fazendo charme. Sabia que havia sido ofendido, mas não conseguira irritar-se com o insolente. - Tem um jeito estranho de se dirigir ao seu príncipe, Edwyn Hill. Mas não posso dizer que me desagrade. Poucos têm a coragem de serem autênticos na presença de minha família.

- Os Lannisters sempre pagam suas dívidas, meu senhor. Isto é de conhecimento geral no castelo. Mas acho que não devo acreditar em tudo que escuto, especialmente sobre o senhor. - Então já haviam comentado sobre a morte de Yalena Sarsfield, como ele temia. Servos... Malditos fofoqueiros indignos de confiança, é o que eram. - Um rapaz preocupado em agradar a irmã mais nova com tanto empenho, não pode ser tão ruim.

- Fico feliz que pense assim. - Enfiou um dragão de ouro nas mãos do rapaz, que ficou estupefato. - Pelo seu tempo, e pela aula de empatia animal. Acredito que seja a confirmação de um clichê, que esta seja a forma que eu consigo encontrar para recompensá-lo. Mas apareça em meus aposentos esta noite, depois das festividades, se acha que não sou realmente tão ruim assim, e farei melhor. Diga que foi convidado pelo príncipe. Nenhum guarda noturno questionará. - Avisou, desviando o olhar para não encarar a reação do rapaz diante da sua proposta. - Você tem razão sobre uma coisa, no entanto. Um Lannister sempre paga suas dívidas. - Sorrindo de relance, Tytos virou o rosto, rapidamente.

          Afastou-se dos estábulos, esperando revelar sua surpresa para Selysse depois do banquete em sua homenagem. O Rochedo inteiro fervilhava de vida, ardendo como uma brasa, conforme os vassalos mais próximos e os ramos secundários de sua família reuniam-se na ocasião de festividades. Era sem dúvidas um evento digno da presença de outras Grandes Casas, mas as relações diplomáticas com os Lannisters ainda não passavam da cortesia usual, ainda naqueles tempos. Poucos deixavam de associar os leões do Rochedo com as ações de seus ancestrais, boas ou ruins. Para Tytos, era particularmente benéfico que todos estivessem tão atarefados, assim teriam mais o que fazer além de intrometerem-se em seus assuntos, ou murmurarem sobre suas atividades. Caminhando na direção de seus aposentos, estava pronto para vestir-se adequadamente e encarar a noite na companhia de sua família.

                  Quando finalmente desceu para o salão principal, ficou contente em perceber que o banquete ainda não havia começado. As pessoas ainda conversavam ao redor das muitas mesas, rindo e bebendo. Mulheres rechonchudas passavam entre os bancos, entregando canecas de cerveja ou cálices de vinho. Tomou uma taça com um branco dornês, bebendo moderadamente enquanto encostava-se à uma das pilastras do salão. Ainda não vira ninguém por perto, e por breves instantes deixou que seus pensamentos o levassem para a tarde nos estábulos, e para o gordo pônei marrom que daria à sua irmã no dia seguinte. Riu sozinho imaginando a reação da mais nova, mas também lembrando das palavras e gestos do cavalariço bastardo. De onde aquele rapaz saíra, afinal? Temendo que a alegria em seu rosto pudesse parecer suspeita apesar da celebração, assumiu um tom mais taciturno, enquanto escutava sem realmente ouvir, a música e a algazarra que invadiam o enorme ambiente. Nem mesmo todo aquele ruído, seria considerado tão confuso quanto a própria tempestade que carregava em seu coração. Nunca pensara que sentiria isto novamente, depois da dama de companhia de sua irmã. Mas não podia evitar, e a promessa do torpor no vinho era quase tão atraente, quanto a expectativa de saber se o cavalariço atenderia afinal, o seu pedido no fim do dia. Com algo tão intrigante em mente, aguentar as próximas horas com seus parentes não seria realmente algo de que se queixar.

 
Observação:
Treino de Habilidade: Empatia com Animais

thanks juuub's @ cp!  



Hear Me Meow✖️
Mensagem por Urrax em Ter Dez 06, 2016 2:47 pm

Avaliação de Treino

Tytos Lannister
Um ótimo treino. Continue evoluindo!


Avaliação

Conteúdo e Coerência (40/40)
Contexto e Criatividade (30/30)
Estrutura e Metodologia (20/20)
Ortografia e Organização (10/10)
Total (100/100)
Acréscimos e Descontos


+18% pelo atributo Inteligência com 7 pontos. (18)
+3% pelo atributo Energia com 5 pontos. (3)
+6% pelo atributo Determinação com 5 pontos. (6)
+10% pela habilidade no nível 0. (10)

Experiência Adquirida


Ganha 7% a mais de Experiência sempre que treinar as seguintes habilidades: Diplomacia, História e Economia.

+ 137 pontos na habilidade empatia com animais.


Dragão
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagem por Merida Lannister em Qui Dez 08, 2016 10:31 pm
Little Lioness

A mind needs books as a sword needs a whetstone if it is to keep its edge



A mulher passou o dedo pela página, acompanhando as palavras enquanto seus olhos varriam cada linha do velho livro.
Maegor ascendeu ao Trono de Ferro em 42 d.C. à frente do filho mais velho de seu irmão e herdeiro, Aegon. Ele foi coroado em Pedra do Dragão, usando a coroa valiriana de aço de seu pai, em vez da coroa ornamentada de Aenys. Grande Meistre Gawen protestou na coroação de Maegor, afirmando que por todas as leis de herança, a coroa deveria passar para o filho de Aenys. Com essa declaração, Maegor o decapitou com a Blackfyre.
Merida sorriu, os homens que temiam a verdade sempre castigava quem a partilhava. Uns mandavam cortar línguas, outros cabeças...
Porém a ação de Maegor foi eficaz, uma vez que não houve mais protestos contra sua ascensão depois disso.

Maegor levou Alyssa Velaryon, a rainha viúva de Aenys I, e a mãe do Príncipe Aegon, como refém, como residente em Pedra do Dragão. Os filhos menores de Alyssa, Jaehaerys e Alysanne, foram mantidos em Pedra do Dragão com ela, enquanto seu filho, Príncipe Viserys, foi feito escudeiro de Maegor, para que ele pudesse ser mantido perto como refém, garantindo o bom comportamento de Alyssa.
Parecia que manter alguém preso virara moda em Westeros, fazia já muitos anos. Merida pousou o livro sobre a cama e fitou a porta de madeira, trancada. Ela era infeliz ali, apesar de saber que tudo que seus pais faziam era para seu bem, porque gostavam dela. Talvez eles tivessem medo que algo ruim acontecesse, mas não podiam privá-la de liberdade para sempre. Certo?

Merida sorriu, ainda que seus olhos espelhassem a tristeza que sentia. Sua mãe jamais mudaria de ideias, Tyressa era uma mulher apaixonada por seus filhos mas também autoritária. Era uma verdadeira leoa, muito diferente de Merida. Também seu pai era diferente e por isso ela se perguntava muitas vezes o quão Lannister era seu sangue. Seria por isso que a trancavam? Porque ela era muito diferente de todos? Porque ela não era uma Lannister?
Era engraçado como sempre havia alguém naquela família que virava alvo de desprezo dos demais, alguém cujas diferenças os assustavam, fossem físicas ou psicológicas.

Merida era muito parecida com seu avô, o pequeno anão que se revelara um grande homem. Também ele era visto como uma aberração por ser diferente, por pensar de um modo diferente. Ele era pequeno, sim, mas via muito além da realidade dos outros. Era um homem à frente do seu tempo, que ela admirava muito. Ainda hoje eram várias as pessoas que apontavam o dedo na hora de falar de Tyrion Lannister e isso a machucava, muito.
Três toques se ouviram pelo quarto, alguém batia na porta. Merida se ergueu e passou as mãos pelo vestido, tão verde quanto as esmeraldas vindas de Essos.
- Princesa Merida, sua família a espera no grande salão para a comemoração do dia do nome de sua irmã. - uma criada anunciou, fazendo uma reverência e saindo, deixando a porta aberta.
A leoa dourada não queria ir, preferia permanecer presa a ter que fingir que tudo estava bem nessa família. Ela estava habituada a expor sorrisos falsos, conversar ocasionalmente com convidados que passavam por ali.

Respirou fundo e desceu as escadas da torre, depois de fechar a grande porta. Faria um esforço por sua irmã, afinal era merecia.
Todo o castelo estava decorado com panejamentos vermelhos e dourados, ostentando o poder da realeza das terras de oeste. O cheiro da comida se fazia sentir cada vez mais, à medida que a distância entre a princesa e o salão diminuía.
Na grande sala, também decorada com os mesmos panejamentos, vassalos conversavam, trocando ideias ou elogios que Merida logo assumiu como falsos. Ninguém gostava de ninguém ali, todas essas palavras não passavam de falsas cortesias. Ao longe avistou seu irmão, Tytos.

Merida ainda não o havia perdoado pelo incidente com sua dama de companhia. Sabia que mais cedo ou mais tarde iria fazê-lo, porém, jamais esqueceria, até porque ela tinha uma ótima memória.
- Irmão. - ela o cumprimentou, beijando seu rosto do seu jeito carinhoso. - Viu nossos pais? E a pequena Selysse, onde ela está?
Merida tinha o presente da irmã guardado na torre, preferia tornar o momento mais pessoal e o entregar quando somente as duas estivessem juntas. Não era nada de especial, mas ainda assim era algo que Merida tinha em elevada estima, que fora dela e que agora passaria para a pequena Lannister.





Habilidade Treinada:
História



Landslide
I took my love, I took it down
I climbed a mountain and I turned around. And if you see my reflection in the snow covered hills, well the landslide will bring it down
Mensagem por Urrax em Dom Dez 11, 2016 5:16 pm

Avaliação de Treino

Merida Lannister
Sem dúvidas um ótimo treino. Continue evoluindo!


Avaliação

Conteúdo e Coerência (40/40)
Contexto e Criatividade (30/30)
Estrutura e Metodologia (20/20)
Ortografia e Organização (10/10)
Total (100/100)
Acréscimos e Descontos


+21% pelo atributo Inteligência com 8 pontos. (21)
+3% pelo atributo Energia com 5 pontos. (3)
+15% pelo atributo Determinação com 7 pontos. (15)
-5% pela habilidade no nível 2. (5)
+7% pelo dote inicial. (7)

Experiência Adquirida


+ 141 pontos na habilidade história.


Dragão
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagem por Conteúdo patrocinado
Conteúdo patrocinado

Ver o tópico anteriorVer o tópico seguinteVoltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum