Parceiros
Parceiros [00/36]
Elite [00/06]
Gráficos [00/12]

[RP Aberta] What's your name, girl?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[RP Aberta] What's your name, girl?

Mensagem por Desmera Tyrell em Sex Dez 02, 2016 3:29 am


Growing Strong

What's your name, girl?
Descrição da RP:  A RP receberá posts apenas de Desmera Tyrell. Esta é uma RP FECHADA, conta apenas com a participação da rainha mãe. Desmera encontra-se na sala do trono de seu filho Desmond, onde reúne-se com um grupo de jovens damas para uma tarde de tecelagem bem humorada.



Growing Strong

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Aberta] What's your name, girl?

Mensagem por Desmera Tyrell em Dom Dez 04, 2016 12:01 am

What's your name, girl?


                                 Desmera estalou os lábios quando o vinho doce arranhou sua garganta, descendo em seguida como uma invasão má recebida, cuja origem devia-se à uma péssima safra da Árvore. Seu filho, no entanto, parecia discordar do seu paladar, uma vez que os tratados comerciais com os Redwyne continuavam firmes como nunca. Ao menos os malditos deviam atentar para a qualidade do vinho, capaz de fazer um beberrão de taverna cambalear após uma dose mais robusta. Além de estar doce em demasia, parecia levar fogovivo em sua composição. Com um esgar de descontentamento, depositou seu cálice na pequena mesinha abarrotada de bolinhos de limão e frutas silvestres. Adorava o sabor das amoras banhadas em calda de morangos da montanha. Ao menos as cozinhas de Jardim de Cima continuavam capazes diante de suas necessidades. Com certa satisfação pessoal, olhou para o trono de seu filho Desmond, onde vira Willas sentar-se tantas vezes depois de ter sido coroado por Daenerys como Rei da Campina. As relações dos Tyrell com a Coroa agora eram mais próximas, especialmente pelo papel desempenhado por sua família na Segunda Conquista, sob o comando de Lady Olenna e Lord Willas. A cadeira esculpida dentro de um enorme tronco de árvore, com trepadeiras de rosas douradas vivas que cresciam timidamente ao seu redor, era a maior prova disso. Rosas têm espinhos, e cada vez que um rei Tyrell se furasse no trono, lembraria disto.

                                Perdida em seus pensamentos, olhou o círculo de aprendizes que se formara ao seu redor. As damas de companhia do Jardim de Cima estavam reunidas para uma tarde tranquila de tecelagem na sala do trono, muito mais arejada e movimentada do que as câmaras pessoais de Desmera ou os jardins vivos do castelo mais belo dos Sete Reinos. Ou melhor, Oito Reinos, agora que os Tully se achavam relevantes o bastante para serem coroados reis do Tridente. Com um esgar humorado diante da chacota secreta, Desmera permitiu que seu olhar deslizasse sobre as jovens que bordavam silenciosamente. Com desgosto, notou os desenhos em suas mãos. Rosas douradas, videiras verde relva com pétalas douradas, um cavaleiro Tyrell com armadura esmeralda... Todas gravuras entediantes e bajuladoras. Exceto uma. Uma abelha rainha, em lindos tons amarelos, negros e dourados. Sorriu para a jvoem de cabelos castanhos claros, que acanhou-se.

- Qual o seu nome, menina? - Indagou, em tom alto o bastante para chamar a atenção de todas as outras. - Pelos deuses, continuem a bordar, isto não é uma conferência em grupo. - Dispensou-as, vendo-as retornarem envergonhadas às suas tarefas. - Uma Beesbury de Bosquemel, hãn? A irmã do jovem Lord Rickard, suponho.

- Sim, m'lady. Megga Beesbury, se lhe aprouver. - A menina sorriu, provavelmente curiosa.

- É uma linda abelha rainha, a que está bordando. - Apontou, o anel com uma enorme pedra de turquesa escorregando um pouco de seu dedo. - Os pontos estão devidamente aproximados, e há nuances de cores entre as camadas, produzindo uma sensação de movimento. Farei com que seja entregue à sua mãe, para que ela saiba que a estou educando apropriadamente.

- É muita bondade, senhora. - Megga de Bosquemel assentiu, ruborizando levemente, apenas confirmando o que Desmera já sabia. Ela sentia saudades do lar.

- É uma grande honra servir à família de seu rei, minha criança. Ainda assim, os homens não nos contam o quão dolorosa é a honra, quando se nasce capaz de gerar filhos, hãn? - Riu-se, apenas para ver sorrisos em outros rostos presentes. Era óbvio que Megga não era a única prestando atenção. - Ah sim, eu nasci para honrar os Hightower, suseranos diretos dos Beesbury, se não me engano. Diga, jovem, seu irmão responde primeiro ao meu sobrinho, e depois ao meu filho, correto?

- Sim, m'lady. Creio que sim. A Casa Beesbury é nobre e ancestral, mas modesta. - Anuiu a donzela, humilde.

- Como os Mormont já foram, e veja onde estão agora. - Disparou Desmera, com uma exclamação. - Possuem uma frota que rivaliza com os Manderly, embora não sejam menos rústicos do que sempre foram. Uma vez vi um cavaleiro da Ilha dos Ursos comer sozinho, um leitão assado com maçãs, no salão de banquetes aqui ao lado. Achei que o bom Willas fosse ter uma síncope, tão altas eram suas risadas diante do espetáculo de horror. - Novas risadas, e Desmera já não sentia-se tão só. A velhice trazia histórias e experiências para mulheres com uma mente afiada, e mesmo que seu filho tentasse afastá-la das questões de governo e seus netos tivessem coisas mais interessantes a fazer do que passar tempo com a avó, ela sempre teria as damas. Seu bando particular de galinhas, acompanhando-a em toda a parte. - Minhas mãos já foram suaves e capazes, como as de vocês, pombinhas de verão. Já toquei harpa nesta sala do trono, diante de Lords e Ladies antes que algumas de vocês fosse despejada no ventre de suas mães. - Fez sinal para que Megga lhe passasse a toalha que bordava. - Mas se pretendem chegar à senhoria de uma fortaleza num entroncamento, então precisarão bordar melhor do que isto. Os trabalhos nada criativos com os quais agraciam minha visão, poderiam muito bem ser a obra de uma septão bêbada com sérias dificuldades visuais...

                    Com uma impaciência característica, Desmera mostrou às damas a maneira mais propícia de segurar a agulha de bordado, e embora seus próprios nervos já não fossem os mesmos, em pouco tempo conseguira acompanhar o intrincado padrão de cores com os quais Megga enlaçara seu manto. Fez com que cada uma delas tentasse imitá-la, sempre estalando a língua diante de erros ou acenando positivamente quando um sucesso era executado. Notou com gosto que as jovens seguiam suas diretrizes, e embora estivesse entediada, tinha de admitir que estava se divertindo com o desespero das mais jovens.

                 Não sabia quais préstimos sua nora Tully possuía, uma vez que embora fossem cordiais entre si, não eram particularmente próximas. Desmera no entanto, gostava do modo como Katherine parecia importar-se com Desmond, sabendo que seu filho era tão justo quanto o pai, mas bem menos astucioso para os estratagemas e maquinações. Talvez sua nova rainha pudesse ajudar a protegê-lo. Desmond não herdara a volúpia nem os espinhos Tyrell. Com ele residiam a retidão de caráter e o gosto pelos ideais da cavalaria. Um traço bem mais de sua família, os Hightower, que da de Willas. Restara à Desmera honrar a tradição de fortes figuras femininas da Casa, papel que ela abraçou de corpo e alma assim que o seu sobrenome também mudou. Tutelada pela própria Olenna, Rainha dos Espinhos original, sabia o quanto lutara para salvar o ramo principal daquela família, e o quão árduo havia sido restaurar a Campina depois das batalhas com os Lannisters e a vitória de Daenerys. Ela não permitiria que este trabalho fosse em vão. Nunca.

- Aquela que me trouxer um trabalho próximo da qualidade de Megga, poderá enviá-lo para qualquer lugar de Westeros, junto com uma carta minha para a família nobre que escolher. Estou me sentindo generosa nesta tarde, moças. Falarei de casamento, se achar apropriado. Tudo depende do talentos destes lindos e finos dedos. - Apontou com a taça de vinho para as moças, que pareceram trabalhar com o afinco da própria Donzela. Riu olhando para Megga. - Venha comigo, menina. Encontraremos um colar que combine com as cores de sua Casa entre minhas quinquilharias. - Ergueu-se, pensando duas vezes antes de largar seu vinho. - Sete Infernos, isso parece o vinagre que os Greyjoy bebem nas Ilhas de Ferro!

         Sabia que devia soar cômica enquanto reclamava de algo tão coloquial, caminhando de braços dados com a jovem de olhar amendoado e expressão ingênua, que a lembrara de uma amiga há muito perdida. A jovem Beesbury não sabia ainda, mas era semelhante à Amabilys Fossoway, primeira esposa de Willas e sua melhor amiga na juventude. Aquele mesmo olhar amoroso amolecera seu coração. Talvez pudesse ensinar uma coisa ou duas à dama, uma vez que sua própria filha dispensara seus cuidados e todo o esforço que fizera para prometê-la à um dos irmãos do rei. Quem sabe desta vez, não fizesse as coisas da forma correta, finalmente?

Observação:
Treino de Habilidade: Tecelagem

Rainha dos Espinhos simplesmente sendo uma bad old bitch...


♦ The White Swan ♦ @CG



Growing Strong

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Aberta] What's your name, girl?

Mensagem por Urrax em Ter Dez 06, 2016 4:02 pm


Avaliação de Treino

Desmera Tyrell
Um bom treino, sem dúvidas. Alguns erros de digitação que uma revisão resolveria, mas não irei descontar.

Avaliação

Conteúdo e Coerência (40/40)
Contexto e Criatividade (30/30)
Estrutura e Metodologia (20/20)
Ortografia e Organização (10/10)
Total (100/100)
Acréscimos e Descontos


+33% pelo atributo Inteligência com 12 pontos. (33)
-5% pelo atributo Energia com 3 pontos. (5)
+24% pelo atributo Determinação com 10 pontos. (24)
+10% pela habilidade no nível 0. (10)

Experiência Adquirida


+ 162 pontos na habilidade tecelagem.


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Aberta] What's your name, girl?

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum